\ MINAS GERAIS \ O que Rapunzel tem a ver com resiliência?

O que Rapunzel tem a ver com resiliência?

Pode ser apenas mais um conto mágico de príncipes e princesas, mas me faz pensar nas
mensagens que nos são passadas desde a infância, para que desenvolvamos
capacidades para suportar adversidades, resistir e não se entregar, não desistir e
encontrar formas criativas para lidar com a realidade do dia a dia.

Para a Psicologia, ser resiliente é ter a capacidade de dar a volta por cima, lidar e superar
adversidades ao ponto de transformar experiências negativas em aprendizado. E é dentro
deste contexto e conceito que constato a relevância que é dada a esta competência pelo
mundo corporativo, nos quadros das empresas dos níveis operacionais, estratégicos e de
lideranças.

Quando avalio um executivo que diz ser resiliente, não hesito em perguntar qual o
comportamento ou atitude que ele adota e que possa traduzir essa competência? A
maioria das respostas tem sido a capacidade de adaptação, geralmente, sem
questionamentos e/ou argumentações.

Ser resiliente, no entanto, não significa a ausência de confrontos. Não significa Ser
Tolerante, mas ter a capacidade de transformar a realidade para promover uma adaptação
saudável que não comprometa a identidade do profissional ou a sua autoestima.

Assim, ser menos resiliente pode criar chances para melhorar as condições de trabalho
ou até mesmo possibilitar que o indivíduo redirecione suas energias para o que realmente
faz mais sentido para sua carreira, para sua saúde física, mental e psíquica.
Não nos cortem as cabeças. Cortemos nossas tranças primeiro!!!

 

Lizete Araújo
Diretora Executiva – Véli-MG
lizetearaujo@velirh.com.br